TARDE

   
                           Inspirado em Mario Quintana

Um voo adeja a tarde, um sentimento
de distâncias varadas no sentido
de um desconforto opaco, ao vir do vento
que da tristeza deve ter partido.
Deploro este adejar e me lamento
de não provar da côdea de um olvido
pondo um ponto final ao desalento
deste final de dia destruído.
Vozes da infância... falas soterradas
no vão do tempo...os que ficaram sós.
As palavras por nós pronunciadas
naquelas tardes, hoje vêm a nós
pela asas da dor, as desoladas
vozes da meninice e dos avós...

In Do Mar ao Rio (ACL, 2013)