MAR DO AMOR AUSENTE



Pensar agora em ti é navegar

o mar do mais terrível desengano

longe de tudo, indiferente mar…

É ser nauta sem bússola nem plano.

Mas penso… e me é custoso acreditar

que sem teu beijo aquele amor insano

se extinga só, distante, devagar

neste doído exílio desumano.

Os nossos corpos foram-se encontrar

para depois sentir pungentemente

a sofrida paixão e naufragar

nas águas desse mar indiferente?

Sem porto, a minha nau anda a vagar

à deriva, no mar do amor ausente.