ALPENDRE

Adiante, o campo de junho
sob o jogo de esconde-esconde das estrelas.
Mais longe, os mudos relâmpagos bisavós...
No peito, uma fogueira no pátio.

Com o céu defronte
em seu alpendre de sonhos
o lavrador de poesia
se conforta, lembrando a gleba
numa canção de semente.

A gleba responde
num sorriso de espiga.