SONETO DA ÚLTIMA DESPEDIDA

Pela última vez olhamos juntos
a lua grande, cúmplice de outrora.
Calados, não cuidamos dos assuntos
do nosso amor, pois este enredo agora
tratava dos percalços e eram muitos
postos entre nós dois... é nessa hora
que os nossos erros, reais ou presuntos
não têm remédio, quando o orgulho aflora.
Quantas vezes miramos, abraçados
a mesma, hoje indiferente lua
ao nosso adeus!... Agora, separados
não ponho mais a minha mão na tua
nem comungamos, corpos abrasados
daqueles beijos em tua cama nua...