DURANTE A RESISTÊNCIA



Dante Alighieri (1265-1321), o cânone dos cânones do Ocidente, considerada a cultura a partir do período em que a literatura e as artes em geral começam a ganhar estatuto de exercício individual, espontâneo e livre da égide da Igreja, aquela época que justamente estes que inauguram a nova era chamaram de Idade Média, autodefinindo-se Renascentistas (Dante foi um renascentista avant la lettre), quer dizer, a partir do Humanismo que desembocou na Renascença é, sem dúvida, o nome que mais influenciou toda a criação literária ocidental posterior, aí incluindo-se Shakespeare, Camões, Tasso, Cervantes, também os românticos (vide Goethe) e outros notáveis, num amplo cenário.

Os seus pais (Alighiero di Bellincione e Gabriela – Bella –  degli Abbati) batizaram-no Durante (segundo Jacopo Alighieri, seu filho, um hipocorístico), mas nome do seu avô materno, Durante di Scolaio degli Abbati. Robert Bonell (1940-2016), em seu instigante livro Dante, o grande iniciado – uma mensagem para os tempos futuros, apelando ao Hermetismo Cristão (vide Charles-Rafael Payeur, nascido num distrito mineiro de Québec em 1962), e à numerologia, demonstra que Dante é igual a dois, portanto, ao retorno, ao número da dualidade, representando o Amor. Durante é aquele que aguenta. Em verdade, quão pesado foi o fardo de Dante, desde a primeira infância! Separações dolorosas, mudanças de domicílio compulsórias, da cidade natal até o exílio. Perda da amada Beatrice (morta prematuramente) e obrigado, aos 12 anos, a casar-se com Gemma Donati, por imposição da família...  Em 1289, viu-se obrigado a combater ao lado dos cavaleiros florentinos contra os aretinos, na batalha de Campaldino.  A Florença do Duecento dividia-se entre duas facções políticas inimigas figadais: os guelfos (da casa de Welf) e os gibelinos (do castelo Waiblingen). Os primeiros, ajudados pelo papa Bonifácio VIII e os segundos com o apoio da Casa Suábia de Hohenstaufen, depois perdido. Tendo sido os gibelinos derrotados, Dante foi detido em Roma pelo papa. E depois viu-se Dante obrigado a fugir de Florença (na verdade, foi decretado o seu exílio) para evitar a sua execução. Perambulou por muitas cidades. Exilou-se em Verona por um período em que foi hóspede, com honras, de Cangrande della Scala (1291-1329), quando teve oportunidade de escrever parte de sua obra.

Os escritos de Dante Alighieri penetraram as mentes ocidentais (e, até um certo ponto, as orientais), perdurando, em pleno século XXI, como uma referência maior e fonte de inspiração inesgotável  a quantos procurem beber desse manancial. Desde De Vulgari Eloquentia, Le Rime, Convivium, Vita Nova e outros trabalhos, tem demonstrado Dante a quanto pode elevar-se a mente na busca da luz. Seja tratando temas técnicos e científicos, seja alcançando as alturas da Divina Commedia, onde nos dá lições de filosofia, teologia, história e, acima de tudo de Humanismo. Um Humanismo imortal em sua fé.